• Kamila Fortunato

As vezes na moda, a gente se perde...

E acha que para pertencer, precisamos ter. Precisamos usar igual.



Na consultoria de estilo você adquire autoconfiança na hora de vestir o que expressa o que realmente você é, adequada a sua rotina e estilo de vida. Não adianta ter o guarda-roupa dos sonhos, e ele não ser adaptado à sua realidade. Ter peças lindas e não conseguir inserir no seu dia-a-dia. A consultoria de estilo vai te trazer esse autoconhecimento. Otimizar as peças que você já tem, fazer combinações diferentes aliadas a um styling que funcione para você, e se necessário fazendo compras com segurança e assertividade.


Em contraponto ao post que acabei de publicar sobre o que vestir para uma semana de moda, onde expresso sobre sonho e fantasia, trouxe o texto que a Maria Helena Pessoa (@mariahelenapq) fez para a cobertura do Shopping Iguatemi sobre a PFW, que vale a pena ler até o final:


"Paris certamente é um desses lugares. Não importa a que horas, em qual esquina da cidade, a simples rotina dos parisienses pela rua oferece um show daquilo que lhe é tão particular e o que os faz tão singulares e referência: senso estético descomplicado e repleto de personalidade.

Vestir com personalidade, que nada tem a ver com o "street style" que nos acostumamos a ver durante as semanas de moda. Aliás, ao meu ver esse suposto "street style" que surge nas fashion week espalhadas pelo mundo é tudo, menos estilo de verdade das ruas.

A francesa não se curva para a moda, ela faz a própria moda. Se todo mundo tem uma determinada peça, a francesa não quer. Pelo contrário, ela quer o que ninguém tem, ela prioriza peças com história -e por isso é mestre na arte de caçar vintage, é mestre na arte de misturar pescas sofisticadas com peças simples e, se ela fizer uma compra mais cara, ela vai priorizar algo atemporal, com bom corte, que circulará muito com suas outras peças.

A francesa não é montada. Ao contrário, a sua estética preza pelas imperfeições, pela naturalidade e, tenho pra mim que elas acreditam que são essas imperfeições e diferenças que as torna singulares e bonitas, ao contrário da pasteurização do estilo e beleza que estamos tão acostumados a ver mundo afora.

Acho que essa forma simples e desapegada de se relacionar com o "vestir", sem se importar com o que a moda diz ou com o que os outros esperam, que confere liberdade que ela precisa ser criativa e única.

Nascem combinações próprias, livres de tendências, livre de expectativas. E por isso, nascem imagem que de fato carregam personalidade e verdade.

Não se enganem, isso não quer dizer que a francesa não se preocupe com a sua aparência. Nada disso, são hiper vaidosas, mas sabem fazer isso de uma forma tão despretensiosa que ao observa-las você poderia jurar que ela não pensou muito antes de sair, o que não necessariamente é verdadeiro.

Essas são as imagens que de fato me inspiram e é o que eu mais gosto de ver pelas ruas de Paris quando penso em moda. A moda de verdade está circulando através dos moradores da cidade, elas são a verdadeira expressão daquilo que há de mais estiloso: ser você mesmo, com todas as suas diferenças, imperfeições, personalidade e verdade. Assinado: @mariahelenapq"



2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo